quinta-feira, 12 de junho de 2014

SHAKIR KHAN e VIKAS TRIPATHI no Museu do Oriente 12 Julho

12 Julho | 21.30

SHAKIR KHAN (SITAR) e VIKAS TRIPATHI (TABLA)

Em palco vai estar Shakir Khan, músico de oitava geração, filho do mestre de sitar, Ustad Shahi Parvez Khan, aclamado na Índia e também na Europa e Estados Unidos não só pela interpretação que faz da música clássica mas também pelos seus trabalhos de fusão com grupos de jazz e new age. Em Shakir encontramos a grande profundidade e subtileza da tradição clássica indiana, a inovação musical e uma energia jovem e renovada que faz dele o mais talentoso continuador da mais importante tradição clássica musical. 
Shakir é acompanhado, na tabla, por Vikas Tripathi, grande percussionista de Benarés e músico de reconhecida trajectória.

terça-feira, 28 de maio de 2013

Jayantabhai Ki Luv Story

Jayantabhai Ki Luv Story é uma comédia romântica que nos conta a história de amor entre um gangster e a sua vizinha/inquilina. Simran Desai (Neha Sharma) fica sem trabalho e casa depois de um escândalo na área das telecomunicações móveis que ficou conhecido como o "2G spectrum scam" e tenta a sua sorte em Bombaím onde aluga um pequeno apartamento ao lado do de Jayantabhai (Vivek Oberoi).

 E é assim que começa a história de amor entre Simran e Jayantabhai, conhecemos também o pai que é rigido na educação da filha e não gosta da aventura dela na cidade, é um filme para ver sem grandes expectativas, o diálogo é muitas vezes hilariante, fiquem com o trailer e algumas músicas legendadas em Português, mais um trabalho 5 estrelas do Atif Aslam que "empresta" a voz no filme e tem direito a um "cameo" na música "Dil Na Jaane Kyun".

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Interval


Pois que alguns terão notado, outros nem por isso, o nosso Grand Masala tem estado parado. Mas felizmente acho que não é desta que morre.

Pela minha parte, devo dizer que desde Maio do ano passdo (há quase um ano, portanto), que não vejo um filme indiano. É verdade. Coisas aconteceram, o fim do mundo estava para vir mas não veio, e pelo meio o meu tão amado cinema escapista song-and-dance que sempre adorei parou de fazer sentido. E achei mesmo que iria encerrar o blog.
Não tenho tido paciência nem vontade de acompanhar os novos lançamentos, a loja onde costumava ir comprar filmes fechou (certo, certo, eu também comprava filmes online mas não é a mesma coisa) e já não acho que o cinema indiano precise de mim para o divulgar em Portugal.

O Grand Masala deixou, portanto, de ser uma missão.

Nos últimos dias, porém, voltei a sentir o apelo. E sinto que o Grand Masala vai renascer como aquele bloguinho modesto e adorável que começou por ser. Agora só tenho de aprender como editar posts neste "novo" interface do Blogger. Continua dentro de instantes...

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Semana da Cultura Indo-Portuguesa - Out. 2012

Realiza-se nos próximos dias a Semana da India em Lisboa - GOA cinema e dança, com o seguinte programa anunciado:

12 e 14 de Outubro | Cinemateca Portuguesa e Museu do Oriente
Breve Ciclo de Cinema Goês
Dia 12, Cinemateca Portuguesa
(Inscrição na Casa de Goa, tel/e-mail para obtenção do convite – Lugares Limitados)

19.00h| Debate sobre o cinema goês e português e a participação nos festivais de cinema em Portugal e na Índia. Painel: Fernando Vendrell, Paula Trancoso, Luis Galvão Teles, Rajendra Talak e Prashanti Talpankar
20.00h | Exibição do filme “Paltadacho Munis”, de Laxmikant Shetgaonkar.
Dia 14, Museu do Oriente.- (Entrada Livre)
15.30h | Exibição do filme “Jagoor – O Despertar”, de Sangramsinh Gaikwad.
18.00h | Exibição do filme “Ó Maria”, de Rajendra Talak.

13 de Outubro, 17.00h | Danças tradicionais de Goa pelo grupo “Kanta Gaude”
Praça do Martim Moniz (entrada livre)

Contactos:
Casa de Goa / casadegoa@sapo.pt (21 393 00 78, de 2ª a 6 feira, das 15.00h às 19.00h)
Newslwtter em :

http://www.casadegoa.org/

terça-feira, 15 de maio de 2012

Shootout At Lokhandwala (2007)

O filme de que hoje vos gostava de falar tem tanto de positivo como de negativo, sendo o melhor a vontade de introduzir no cinema Indiano uma linguagem narrativa mais agressiva, raramente visto nesta cinematografia, sendo o menos bom a incapacidade de se afastar dos cânones da estrutura usual das produções convencionais.
Podendo ser colocado no grupo ainda não muito povoado das produções do cinema Indiano “mais” contemporâneo, que tenta estabelecer pontos de contacto com o cinema ocidental, Shootout parece, para fazer uma correspondência, estar mais próximo do filme de gangsters e violência urbana do cinema francês do que propriamente do americano, e se por momentos poderíamos estar a assistir um filme de Melville, logo a seguir assemelha-se a um Tony Scott desprovido do mínimo carácter deste.
Apoorva Lakhia optou por um modo híbrido. Por um lado quer imprimir acção, pelo outro aplica-lhe travão de mão. A opção da montagem ir e vir para a frente e para trás funciona tanto a seu favor como me parece que resulta contra a intenção pretendida. Para dizer a verdade, funciona… menos bem. Assisti ao filme vai para meses e estou até hoje à espera de alguma inspiração para dele falar. Tomo isso como uma pista para o efeito (pouco) duradouro, e dado que não me consigo decidir entre fazer uma critica boazinha ou uma mazinha, tentei a experiência de escrever as duas para que cada um escolhesse a que lhe parecesse mais acertada. Acabei por juntar as duas, como fizeram os produtores do filme.

sábado, 5 de maio de 2012

Galeria de vídeos em Português



Podem visitar a galeria em:
http://www.ricardouk.com/bollywood

Sugestões são bem vindas.

Related Posts with Thumbnails
 
Template by suckmylolly.com - background image by mjmj lemmens