quarta-feira, 7 de abril de 2010

Ciclo "Filmes proibidos antes do 25 de Abril" na Casa da Achada - Lisboa

A Casa da Achada, sede do Centro Mário Dionísio, vai apresentar nos próximos meses um ciclo de cinema dedicado aos filmes proibidos durante a ditadura em Portugal.

Dia 28 de Junho - sim, nós sabemos que ainda falta muito tempo - será exibido o magnífico Flores de Papel, do aclamado realizador indiano Guru Dutt. A não perder.

"Uns 3500 filmes foram proibidos durante a ditadura, desde a criação da Inspecção dos Espectáculos, em 1928, até ao 25 abril de 1974. Por razões politicas. E também por razões "morais". Muitos outros não chegaram a ser proibidos porque os distribuidores nem sequer os apresentavam a "exame", uma vez que de antemão sabiam que eles não "passariam". Nem com os cortes habituais.
Qualquer filmo russo (entre 1936 e 1970), qualquer filme dum pais do leste (entre 1947 e 1970), qualquer filme indiano (entre 1953 e 1973) estava impedido de ser exibido, fosse ele qual fosse.
Com pequenas excepções, todos os filmes de Eisenstein, de Vertov, de Buñuel, de Pasolini, muitos filmes neo-realistas italianos e da "nova vaga" francesa, variós filmes de Chaplin, de Renoir, de Bergman, entre outras, não "passaram na censura" e só puderam ser vistos nas salas portuguesas depois do 25 de abril.
Nos ciclos anteriores, incluímos alguns deles.Por exemplo, ROMA, CIDADE ABERTA de Rossellini, HIROSHIMA MEU AMOR de Resnais, OS OLVIDADOS e UMA CÃO ANDALUZ de Buñuel, O COURAÇADO POTEMKIN de Eisenstein, JAIME de António Reis."

1 comments:

Ibirá Machado disse...

Queria eu que aqui esses filmes também tivessem sido proibidos na ditadura, pra agora vê-los no cinema! Ok, comentário besta esse. Não quero nada proibido, nunca. Mas que quero ver essas obras no cinema, isso quero!

Related Posts with Thumbnails
 
Template by suckmylolly.com - background image by mjmj lemmens