domingo, 27 de junho de 2010

Taare Zameen Par - Como Estrelas na Terra


Taare Zameen Par, lançado em Dezembro de 2007, foi a primeira (e até agora, única) incursão do actor e produtor Aamir Khan pela tarefa da realização. É um filme especial.

Contrariando a tendência do cinema comercial, Aamir Khan decidiu realizar um filme centrado na infância. Não numa infância idílica e nostálgica, como aquela que gostaríamos que todas as crianças tivessem, nem na infância ultra-dramática e traumatizada das crianças exploradas por esse mundo fora.
Taare Zameen Par é um filme sobre a infância protegida e ao mesmo tempo cruel que têm as crianças que abandonam o aconchego familiar e o abraço materno para serem lançadas no mundo competitivo do sucesso académico que, para os melhores, será a garantia de um futuro próspero e respeitável.

A estrela - literalmente - de Taare Zameen Par é o seu pequeno protagonista Darsheel Safary, cuja personagem, Ishaan, é aquele miúdo que todos tivemos como colega na escola. Distraído nas aulas, palhaço da turma, e constantemente castigado pelos professores.

Desde o início do filme que acompanhamos a visão de Ishaan, tornando-a nossa. E sentimos que ele é injustiçado, incompreendido e que não é mau rapaz. Pelo contrário. É imaginativo, audaz e particularmente engraçado.
O problema de Ishaan é apenas um: a dislexia que faz com que as letras saltem do seu lugar e o impeçam de ler ou escrever correctamente. Do mesmo modo, os números parecem troçar dele e fugir do sítio, o que também atrapalha o cálculo matemático.
Aos olhos dos professores, Ishaan é um falhado. Para os pais, é preguiçoso.


Como tal, decidem colocá-lo num colégio interno que o discipline. E é mais ou menos isso que acontece. Humilhado e afastado do amor da família, o espírito de Ishaan fica quebrado e ele deixa de pintar, de fazer graçolas e de sorrir.
O único amigo que tem no colégio é curiosamente o melhor aluno da turma, que é perspicaz o suficiente para perceber a origem da dificuldade de Ishaan e reconhecê-lo como o rapaz inteligente e sensível que é.

Quando entra em cena um novo professor de desenho (interpretado por Aamir Khan), este identifica o problema de Ishaan e decide pôr mãos à obra. Por essa altura, já Ishaan se encontra apático e deprimido, e esta tarefa, outrora potencialmente fácil, requer um empenho extra por parte do professor e, por extensão, do restante meio escolar e familiar.

Faltam-me os termos técnicos, uma vez que não estudei cinema, mas reconheço em Taare Zameen Par uma visão mais alargada daquilo que o cinema pode (e deve) ser. Os ângulos em que certas cenas são filmadas, a forma como a narrativa se desenrola, e as inclusões de cenas animadas aqui e ali tornam Taare Zameen Par um regalo visual.
A nível interpretativo, a prestação de Darsheel Safary é maravilhosa. É impossível que todos os seus gestos, atitude desafiadora e olhar vivaço estivessem no guião. Ou se calhar até estavam, mas a naturalidade com que fluem é impressionamente.

Mas... e tinha de haver um "mas". A entrada de Aamir Khan em cena traz uma grande carga de teatralidade a um filme que, até então, estava a primar pela naturalidade. As cenas musicais que surgem no filme a partir daí são, no mínimo, dispensáveis, e o seu discurso hiper-pedagógico rouba ao filme um realismo que até aí era imaculado.
Mas o facto é que Aamir Khan parece ser o artista com mais consciência social em Bollywood e usa todos os seus filmes como veículo para mensagens que, na verdade, são maiores e mais importantes que os filmes em si.
E em Taare Zameen Par a mensagem é esta: respeitem a individualidade de cada criança e não as arrastem para o mundo competitivo das ambições projectadas pelos pais e pela sociedade. Cada criança é especial e cada uma tem direito ao seu espaço. Como uma estrela.

Em jeito de epílogo, quero agradecer ao nosso amigo Ibirá Machado, do blog Cinema Indiano, por duas coisas. Em primeiro lugar, por me ter obrigado a ver este filme. Valeu a pena.
Em segundo - e na realidade esta é a mais importante - pelo seu esforço titânico de divulgação deste filme pelo Brasil e pela internet fora.
Neste momento, já houve garantidamente centenas de pessoas que, graças a este esforço, terão visto no Brasil (que não tem tradição de cinema indiano) um filme que, da parte das distribuidoras, não teve qualquer promoção.
Quem quiser ajudar a que, no futuro, Taare Zameen Par venha a ser editado no Brasil - ou até que venha a ter uma estreia oficial nos cinemas em circuito comercial - por favor assine a petição que foi criada para o efeito. E pessoal: quando o filme sair, comprem-no. Mostrem às distribuídoras que o Brasil é um mercado enorme e com fãs dedicados e em número suficiente para fazer encher salas de cinema.

Aqui por Portugal somos capazes de ter alguma sorte, uma vez que alguns filmes anteriores de Aamir Khan - Lagaan e Mangal Pandey - chegaram a ser editados em DVD. A ver vamos.

2 comments:

Ibirá Machado disse...

Lindo! Super obrigado pelo texto, Barbie!

"Esforço titânico"... é, parece mesmo que sim, mas com isso não fizemos centenas de pessoas verem o filme, mas sim milhares.

Obrigado mais uma vez, Barbie, sobretudo por, finalmente, ter visto o filme!!

Pedro disse...

Lindo texto!:)

Related Posts with Thumbnails
 
Template by suckmylolly.com - background image by mjmj lemmens