website statistics

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Rab Ne Bana Di Jodi


Declaradamente comercial e tipicamente Bollywood, Rab Ne Bana Di Jodi (realizado em 2008 pelo aclamado Aditya Chopra) explora mais uma vez a temática do casamento arranjado e do amor que invitavelmente acaba por surgir entre o casal - pelo menos essa é a fórmula a que Bollywood nos tem habituado).

A mega-estrela Shah Rukh Khan contracena com a estreante Anushka Sharma num filme que lhe dá a oportunidade de interpretar uma personagem radicalmente diferente da sua imagem de marca de galã confiante e quebra-corações.


Escondido por trás de um cabelo bem penteadinho e de um conservador bigode, SRK é Surinder, um empregado de escritório tímido que, apesar de um percurso académico promissor, vive uma vida humilde e ordenada.
Surinder é convidado para o casamento de Taani, filha do seu antigo professor, e quando a conhece sente-se imediatamente atraído pela bela e simpática noiva.

Quando, a caminho do casório, o noivo de Taani morre (providencialmente, para Surinder), o pai desta sofre um enfarte e, no seu leito de morte pede a Taani e a Surinder que se casem. De novo, uma cena tirada directamente da cartilha de roteiros comerciais de Bollywood.


Depois do casamento, Taani acompanha Surinder para a sua nova casa e para a sua nova vida, muito diferentes do conto de fadas apaixonante com que sonhara com o seu falecido namorado.
Surinder não exige que Taani goste dele, nem sequer que lhe faça companhia - o amor que sente por ela está satisfeito e conformado com a unilateralidade a que Taani o vota.

Apesar dos gestos simpáticos que tem por Surinder, Taani continua cabisbaixa e sem motivação. É então que decide inscrever-se numas aulas de dança que têm por objectivo final uma competição entre pares.

Taani inscreve-se e Surinder decide que é a sua oportunidade de se dar a conhecer à sua nova mulher. Com a ajuda de um amigo cabeleireiro, Surinder sofre uma transformação visual e, adoptando o nome da lenda cinematográfica Raj Kapoor, inscreve-se nas aulas de dança.
O destino faz com que comecem a dançar juntos e rapidamente Taani começa a apaixonar-se pelo seu jovial e atrevido companheiro de bailarico.

O resto é previsível, por isso não vale a pena contar. Acho que nem iria contar como spoil.


A previsibilidade é sem dúvida um dos pontos fracos de Rab Ne Bana Di Jodi. Os pontos fortes são os momentos cómicos partilhados por Surinder e o seu cabeleireiro Bobby (Vinay Pathak, a seu tempo falaremos mais dele), e também aqueles em que a simplicidade da personagem de SRK nos aquece o coração com romantismo pateta - como é o caso na cena em que, orgulhosamente, exibe no escritório a marmita com o almoço que a mulher lhe preparou.
As cenas filmadas no Templo Dourado sikh também são de cortar a respiração.

A banda-sonora da autoria da dupla Salim-Sulaiman é bastante boa e tem pelo menos dois números imperdíveis, Tujh Mein Rab Dikhta Ha, cujo vídeo incluímos no post, e Phir Milenge Chalte Chalte uma homenagem a la Om Shanti Om às divas de antigamente do cinema indiano. Será certamente uma das Coreografias Maravilhosas do Cinema Indiano a publicar brevemente.

As legendas do vídeo que colocamos foram feitas pelo Ricardo Santos, a quem desde já damos os parabéns pela atenção e cuidado com que faz a legendagem. Visitem o site dele, está recheado de videoclips legendados e de coisas úteis e geeks (o que deverá ser entendido como um elogio da nossa parte).

10 comments:

Juzé disse...

Já fiquei com vontade de ver este filme.

barbie-o disse...

Ainda bem. Foi-me "impingido" mas acabou por se revelar uma agradável surpresa.

Carol disse...

" e também aqueles em que a simplicidade da personagem de SRK nos aquece o coração com romantismo pateta"

Ah, que coisa mais doce. Rab Ne Bana Di Jodi foi um dos filmes que mais me deixaram com um sorriso tranquilo no rosto. Apesar de toda a história de amor, meus momentos favoritos eram quando o Surinder dançava escondido (creio que em Chance Pe Dance) e os do Raj gritando a Taani partner (eu ria tanto). Queria que o SRK fizesse mais filmes assim, ele não precisa sempre ser o Rahul lindo e maravilhoso. Ele é sensacional no humor!

É uma pena que eu ainda não conhecesse os artistas e filmes de antigamente quando assisti ao filme, hoje eu aproveitaria muito mais as piadas e o Phir Milenge. Fica para a próxima, então.

barbie-o disse...

Qua saudades dos comentários da Dona Carol! (E dos posts dela também, cof cof.)

Eu também acho que o SRK poderia ser um rei da comédia, ele tem um grande sentido de humor sobre si próprio.

Ricardo Santos disse...

Olá

Este filme é espectacular, as músicas idem, esta música em especial.

os filmes de hollywood já cansam, estes filmes são os únicos que conseguem aquecer/acordar o coração, identifico-me também um bocado com o Surinder (sem o bigode lol), apaixonado por alguém que não lhe liga alguma e veste uma máscara apesar de não se identificar com a mesma... quem nunca fez isso?

Somos todos humanos....

Obrigado pelo link Bárbara

barbie-o disse...

Concordo completamente!
O Surinder é adorável e é muito fácil sentirmo-nos identificados com ele ^^

As tuas legendas são espectaculares, mas esta então está mesmo muito boa (a parte do I LOVE YOU progressivo está excelente!)

Anônimo disse...

É realmente curioso Ricardo Santos, identificares com o personagem...
Há quem já tenha sido apaixonado/a por alguém que não lhe ligava nenhuma que "vestiu uma máscara" e foi chamado/a de muita coisa...


Aproveito para dar os parabéns a/os autora/es do blogue.Continuem com o bom trabalho na divulgação destes excelentes filmes.

Ricardo Santos disse...

Identifica-te e responderei á tua curiosidade.

Anônimo disse...

Eu não fiz uma pergunta!! Vês algum ponto de interrogação no meu comentário anterior ?!

Rodolfo disse...

Eu não sei de que trata esta conversa, mas peço-vos por favor, que mantenham os comentários dentro dos tópicos do blog.

Related Posts with Thumbnails
 
Template by suckmylolly.com - background image by mjmj lemmens